Qual a diferença entre CLT E PJ?


A escolha entre trabalhar como CLT ou PJ vem se tornando muito comum entre profissionais e estudantes de graduação – principalmente para aqueles que estão ligados ou interessados em comunicação, marketing digital, criação, desenvolvimento e tecnologia.

Essa dúvida surge, principalmente, pelo fato de que o mercado de trabalho mudou. Atualmente, temos várias segmentações profissionais consideradas mais flexíveis, que trabalham com home office ou com foco em projetos específicos. Muitas dessas funções estão entre as consideradas “profissões do futuro”.

A flexibilização de jornadas de trabalho, por exemplo, vem cada vez mais caindo no gosto dos jovens profissionais. Tudo isso por que, em sua maioria, essa nova geração têm dado mais prioridade para a flexibilidade de horários do que para os bons salários.

Um estudo feito pela Unify, empresa de softwares e serviços de comunicação com mais de 800 profissionais ao redor do mundo, apontou essa preferência ainda em 2014. Entre os entrevistados, 43% disseram preferir flexibilidade de horários a 10% de aumento nos seus salários. Quando questionados novamente com a oportunidade de um aumento de 20%, 36% continuavam dando mais valor para locais e horários de trabalho flexíveis.

 

 

Quais são as diferenças e vantagens das opções CLT e PJ?

Independentemente de ser uma opção profissional sua ou uma resposta a uma oferta de trabalho, não será difícil e nem raro que você tenha que decidir entre uma dessas duas formas de atuar. A escolha não vai depender apenas de uma questão de remuneração, no entanto, sendo indispensável saber em qual perfil você se encaixa melhor: se atuando como CLT ou PJ.

Assim como ocorre com quase todas as outras escolhas que você vai fazer na sua vida, aqui também não existem apenas vantagens na modalidade que você escolher. É bem provável que, procurando, você encontre tanto experiências gratificantes quanto dissabores relacionados a cada uma das duas formas de contratação.

Para ter mais clareza na hora de optar por uma dessas modalidades, confira logo abaixo como funcionam, quais as vantagens e as desvantagens de cada uma dessas três opções de contratação:

 

Regime CLT

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) é um decreto-lei que regulamenta as leis referentes ao direito do trabalho. Esse decreto-lei tem como objetivo principal regulamentar as relações coletivas e pessoais dentro do ambiente de trabalho.

Por ter essa característica, a CLT garante um regime estável entre o funcionário e o empregador. Uma grande vantagem de contratos sob esse regime é a contabilização do tempo de permanência nas empresas para a aposentadoria.

Tempo de trabalho significa experiência, e essa experiência na carteira pode significar também melhores oportunidades para o profissional. Devido à complexidade do mercado de trabalho e à necessidade de profissionais confiáveis, o tempo de experiência muitas vezes é um fator de bastante peso na hora da escolha por um colaborador.

Para o indivíduo, uma vantagem do regime CLT é que, geralmente, pessoas com mais tempo de experiência costumam se dar melhor em entrevistas, mesmo não tendo o mesmo conteúdo técnico ou especialidade de outros concorrentes.

Além dessa vantagem, existem outros benefícios assegurados pelo regime CLT. Confira os principais:

 

  • Férias;

  • Seguro-desemprego;

  • Vale transporte;

  • Aviso prévio;

  • Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);

  • Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS);

  • Abono salarial;

  • Descanso Semanal Remunerado (DSR);

  • Salário Família.

 

Entre os aspectos desfavoráveis da CLT estão o custo elevado para as empresas para manter um colaborador com carteira assinada e, em relação aos trabalhadores, os descontos relacionados aos impostos cobrados, que são proporcionais ao salário recebido.

 

Regime Pessoa Jurídica

Antes de mais nada, vamos entender melhor o que significa o regime PJ (Pessoa Jurídica). Nesse tipo de contrato, o profissional não possui vínculo empregatício com o tomador de serviços.

Basicamente, para atuar como PJ, a empresa produz um cronograma específico, com a descrição de quais tarefas o profissional deverá desempenhar e qual o volume delas, com datas de início e de término para cada atividade. Uma das vantagens dessa modalidade de contratação é que o trabalhador com cadastro de pessoa jurídica pode prestar serviços contratuais para várias empresas.

A flexibilidade desse regime e a dispensabilidade da exclusividade de trabalho tornam essa modalidade atrativa para muitos profissionais. Para entender melhor as características e aspectos de quem atua como PJ, confira algumas das principais vantagens e desvantagens de ser um PJ:

 

Vantagens:

- Rotina flexível

Normalmente quem atua como PJ possui horários mais flexíveis com o tomador de seus serviços. Na maioria dos casos, existe a possibilidade de o profissional fazer home office.

 

- Liberdade

Atuando como PJ, é possível trabalhar com mais de um cliente. Isso traz a possibilidade de receber um rendimento maior no final de cada mês.

 

- Dedução fiscal

Contratar serviços sob regime PJ faz com que as empresas não tenham que incluir em sua proposta salarial despesas com impostos. Por causa disso, muitas vezes o salário de um PJ é 40% maior do que o de quem tem carteira assinada e desempenha a mesma função.

 

Desvantagens:

- Ausência de benefícios

Nenhum item da lista de benefícios disponibilizados para um funcionário contratado no regime CLT está disponível para quem trabalha como PJ. Algumas corporações, apesar disso, têm o costume de pagar as férias para os colaboradores que trabalham como PJ.

 

- Instabilidade

A ausência de um contrato fixo pode ser um incômodo. Ao final do período acordado, não existe rescisão do contrato – ou seja, é preciso procurar um novo trabalho.

 

- Despesas contábeis

Toda pessoa que deseja atuar como PJ deve, obrigatoriamente, abrir uma empresa. Consequentemente, ela é obrigada por lei a contratar um contador para efetuar pagamentos, declarar e organizar tributos. O valor a ser pago para a contabilidade está relacionado ao tamanho e aos tipos de serviços prestados.

 

Fonte: G1